Pela Internet

23 06 2009
A internet permite que você se sinta como no lugar da foto sem sair de casa.

A internet permite que você se sinta como no lugar da foto sem sair de casa.

Chegou o momento de falar do meio que uso para me comunicar com vocês. A internet, maravilhoso mundo virtual que faz com que gente do Japão possa saber o que eu penso e comentar as besteiras que eu escrevo. Já faz um tempo que eu queria usar o tema, escolher a música foi fácil, Gilberto Gil colaborou porque Pela Internet é perfeita para o que eu penso em falar hoje. Só demorei porque alguns temas acabaram ficando mais urgentes na cabeça de quem me lê.

Mas chegou o momento, confesso que tenho mesmo que criar meu website, fazer minha homepage com aquilo que faço e quero divulgar. Me falta habilidade pra aprender e encontrar a pessoa certa para isso. Mas é questão de tempo, até meu pai tem site , em fase de finalização, onde divulga o trabalho que faz com na área de recursos humanos.

Para mim, a internet é isso. Exatamente o que meu pai faz e o que eu faço aqui no meu blog. Um espaço onde você mostra ao mundo o que sabe fazer e recebe críticas ou elogios. É um centro de troca de informações. Um lugar para se conhecer gente (tema do próximo post) e para se aprender muito com gente. O uso correto da rede é simplesmente maravilhoso.

Como educador sempre vejo críticas fortes contra o uso da internet feito pelos jovens. Eu sou daqueles que acredita que mais importante do que proibir é ensinar a usar. Quase toda informação produzida nos dias de hoje pode ser encontrada na rede, por que não fazer uso dela? O que é importante é saber como fazer isso. Como selecionar a informação correta e principalmente como julgar aquilo que você lê. Porque mais importante do que a informação é o que se faz com ela e justamente é esse o grande ponto da educação atual, todos têm acesso a informação, mas quantos conseguem fazer algo de proveitoso com o que sabem?

Talvez seja esse o problema da internet, não o que ela traz, mas sim quem tem acesso ao que ela traz. É incrível a quantidade de absurdos que se lê por aqui. Mas também é incrível a quantidade de absurdos que encontramos em livros, nas ruas, na televisão, em qualquer local que se conviva com gente vamos viver cercados de absurdos. Mas também cercados de coisas úteis. O jogo correto é saber no que você quer se prender, ao útil, ao fútil ou ao perigoso?

Sim, é claro que sei que nem sempre tudo o que lemos deve ter alguma utilidade prática. O prazer faz parte do jogo, pode-se jogar, bater papo informal, conhecer coisas e nem por isso se perde tempo (se não for feito de modo excessivo). O problema é a informação perigosa, coisas do tipo como fazer uma bomba caseira, marcar brigas em sites de relacionamento e coisas afins. Esse é o erro de comportamento a ser caçado.

Aliás não consigo entender como tem gente que consegue gastar seu tempo com isso. Cada um faz suas escolhas, mas tem escolhas que nem deveriam ser cogitadas. Existem formas muito mais saudáveis de chamar a atenção e de maneira muito mais positiva para a própria imagem.

Eu disse o que penso, mas e você, que uso faz da internet? O que acha dela? No texto de quinta-feira falarei dos relacionamentos virtuais. Até lá.

Anúncios

Ações

Information




%d blogueiros gostam disto: