É Uma Partida de Futebol – Skank

22 08 2010

Tem gente que encara eleição como torcida... Será que o meu candidato chegará na frente?

Puxa, meu time ganhou, meu ultimo post até que fez um certo sucesso. O sorteio do livro continua a todo vapor (apesar de pouca gente já ter feito a inscrição, clique aqui e veja o regulamento). Podia falar de muita coisa boa hoje, mas tem algo que me incomoda muito atualmente.

A música fala de futebol, mas não é pra comemorar os 3 a 0 do meu time, nem o show de bola que aconteceu no Pacaembu nesse início de noite. O post de hoje é pra falar de torcida. Torcedores estes que no fundo agem sem pensar, é emoção pura e razão zero.

Nem estou falando de torcidas de futebol. Essas eu até que entendo serem totalmente movidas pela emoção. Eu torço pelo Corinthians e pra mim ele é o melhor time e pronto, não existe lógica alguma nisso, nem precisa ter. Acho impossível se explicar o que nos leva a torcer por um time, seja ela vencedora, com uma história rica e em alguns casos centenária (caso do meu Corinthians), seja um time pequeno da série D da Lituânia. Você torce para ele e pronto.

Mas ai chegamos a um ponto, torcer pra um time de futebol não altera a sua vida. Usar a camisa de uma equipe de vôlei também não. Eu diria que a não ser que você seja totalmente viciado no que torce, a sua vida segue normalmente independente dos resultados de sua equipe, talvez o humor varie um pouco, mas você segue adiante, aguenta as piadas e pronto. Até porque este tipo de torcida irracional só tem lugar e vez no campo da diversão.

Percebe-se logo que não é essa a torcida que me incomoda. Mas qual é? Me irrita aquele torcedor político. Aquele que surge a cada 2 anos em terras brasileiras e transforma uma eleição, que deveria ser algo sério numa final de campeonato. Esse mesmo torcedor, quando seu partido/candidato perde passa todos os anos do governo de seu opositor procurando falhas, escondendo os acertos e teimando em dizer a todo instante que o governante só faz besteiras, independente dos resultados.

Eu fico espantado ao perceber que em vários casos as decisões não são racionais, são fruto puramente da emoção. A campanha toda desses torcedores é feita da seguinte forma, o outro lado é pior, ele é péssimo, meu lado é menos pior do que o outro. Ai eu pergunto e as propostas? Não, elas nunca existem, pode reparar, aqueles grandes torcedores de partido nunca sabem o que o seu candidato ou partido prega, para eles o que importa é apenas dizer que o outro lado é péssimo.

Nos tempos de internet, isso parece que se tornou mais intenso. Uma rápida olhada no twiiter e diversos comentários aparecem. Tal candidato é bandido, tal candidata é boneca de seu antecessor, tal sistema de governo proposto é um lixo, todos os membros do partido x são ladrões. E por ai vai. É disso pra pior. A impressão que eu tenho é que com a proibição aos humoristas de brincar com os candidatos, os torcedores se tornaram mais agressivos nas ofensas a torcida oposta.

Dentro desse clube, talvez o que mais irritante seja o dos vira-cassacas. Eu hoje vejo gente que vestia a camisa de determinado partido e hoje veste de outro. Nem falo de partidos dissidentes, falo de digamos assim algo como deixar de ser corinthiano e passar a torcer para o palmeiras, algo impensando. Pois bem, nem tão impensado assim. E chego a dizer que se isso ocorresse dentro de escolhas racionais, seria mais do que válido, mas raramente é o que ocorre.

Dessas pessoas eu nunca ouvi algo do tipo mudei de opinião, acredito que essa forma de governar é mais interessante ou qualquer outra coisa parecida. Sempre as desculpas para a troca de lados se pautam no eu estava enganado, eles são todos bandidos, agora estou do lado dos mocinhos. Todos os que votam no outro lado são analfabetos políticos e ignorantes. Enfim, muita ofensa e pouca lógica, e isso de todos os lados.

E ouço isso de gente com bagagem, gente com estudo e que se diz interessada pelo tema. É incrível como todos vivemos atrás do mito do herói. A eterna luta bem contra o mal aparece até em situações onde a razão e a lógica deveriam se sobressair sobre a emoção. Não existem opções perfeitas, existem as opções e cada um deveria ter o direito e o dever de escolher a melhor possível dentro daquilo que acredita, mas pensando bem no que o faz acreditar que fez a melhor opção.

Só fica aqui um comentário, pense muito antes de votar, lembre-se que a urna não é privada e que o seu voto pode ajudar a colocar no comando do país (da cidade, no congresso, em qualquer cargo) um canalha que talvez faça você se irritar por um longo tempo, portanto, muito cuidado com sua escolha.

Em quem vou votar? Voto são secretos, mas já tenho meus candidatos.

Anúncios

Ações

Information

2 responses

24 08 2010
Karina Oliveira Nunes

Olá!,

A Mari indicou o seu blog pelo twitter e achei muito interessante. Fiquei um tanto curiosa para ler o seu livro, espero poder participar do sorteio.

Atenciosamente

Karina

24 08 2010
Joyce Beatriz

Timão é só alegria…
Irei votar nulo ou em branco ainda preciso decidir isso.
Pra mim um país que se diz “democrático” não deveria ter voto obrigatório.
Coisa mais ultrapassada!
Quero ganhar esse sorteio viu!? =)
Beijos meu querido




%d blogueiros gostam disto: