Here Comes The Sun – The Beatles

20 03 2011

Hora de se prevenir o que mata e não se preocupar só com o prazer

 

Quem nunca recebeu de alguma fonte uma daquelas mensagens que pedem que você se associe a determinada idéia por um tempo restrito, só pra dizer que acredita naquilo que foi repassado? Um tipo de spam do bem, ou melhor politicamente correto. Eu as vezes faço isso, ultimamente tenho espalhado duas campanhas, uma sobre o autismo e outra sobre a hora do planeta. Pretendo falar de ambas aqui no blog também, mas mais perto das datas.

Sei que muita gente abomina essas coisas. Eu no geral também não sou o maior fã desse tipo de atitude, me passa sempre a idéia de que se aceita algo virtual só pra se dizer que se sente tocado pela informação, mas que após repassar o trabalho está feito. Até por isso quando posto algo desse gênero procuro sempre ter consciência se é um desejo pontual de falar que curti o motivo ou se eu realmente acho que dá pra fazer algo a respeito. Quando dá, invariavelmente vira post aqui no blog, onde acredito poder passar minhas idéias com maior profundidade.

E foi justamente isso que aconteceu comigo nessa semana. Li no perfil de uma amiga a mensagem que coloco aqui abaixo:

“Eu tenho muitos motivos para PEDIR a todos que coloquem esta mensagem em sua página por uma hora. Eu sei aqueles que o farão!! Pense em alguém que você conheça ou ame que teve câncer. Meu desejo é que em 2011 a cura seja descoberta. Você poderia postar isto por uma hora? Existem muitas pessoas que podemos citar que lutaram e estão lutando. Eu espero ver esta mensagem na página de todos meus amigos”

A primeira vista pensei em ignorar, confesso. Ai resolvi reler. Se a pessoa coloca algo é porque ela quer que seja lido. Li e pensei, coloco no meu perfil? Não, não coloquei, justamente porque acredito que a discussão levantada pode ser mais rica do que simplesmente divulgar um desejo para a cura de uma doença. Além, é claro, de respeitar  e gostar profundamente da pessoa que postou isso. Claro que o desejo é válido e real, até por isso transcrevi para cá. Acredito no valor do desejo e na sinceridade dele. Só que acho que vale a pena dar um passo a mais.

Eu convivo com pessoas que passaram por tumores. Vi gente perder quem ama e sofrer, vi gente sofrendo da doença e perdendo o rumo, perdendo tudo atrás de uma cura. Claro que isso se enquadra a qualquer doença que se conheça. O câncer não é especial ou diferente ou pior do que a AIDS, o diabetes, os problemas cardíacos, os AVCs e até mesmo a violência urbana e do trânsito. Tudo isso mata muita gente e cada um vai chorar a sua dor, vai achar pior o mal que acometer quem está mais próximo de si.

Acontece que o tema proposto serve para discussões mais densas. Todos queremos a cura de todas as doenças. Todos queremos que o sol chegue a todos. Mas quais as prioridades? Quanto se investe nisso? Hoje os grandes laboratórios investem mais em remédios contra impotência do que em medicamentos contra males que realmente podem matar uma pessoa. Lucro é mais importante do que a dor. E falo isso porque os parentes dos donos dos laboratórios também adoecem e também sentem a falta de medicamentos e tratamentos que deveriam ser criados.

Somo isso a outro fato maluco. Cada vez existem menos cientistas, cada vez menos gente se interessa por pesquisar. Não só no Brasil, mas no mundo todo. Com isso, como algo pode ser descoberto? Sem verba e sem pessoal tudo fica mais difícil.

A música que dá nome ao post é uma das mais famosas composições do George Harrison, saiu no disco Abbey Road de 1969. George morreu de câncer em 2001. Além disso, outro fato altamente importante é que George Harrison também se moveu, foi o primeiro roqueiro a organizar um evento beneficiente, em 1971 foi organizado por ele um concerto para os refugiados de Bangladesh. Os motivos do concerto podem ser discutidos, pessoas podem ser contra ou a favor, mas ele tentou, fez algo a respeito daquilo que acreditava.

É o que eu tento fazer aqui, é válido o desejo para que uma cura para o câncer seja encontrada e levada a todos, nosso ex vice-presidente está a anos em tratamento e aparentemente vive até bem, se recebesse o mesmo tratamento que grande parte da população tem, provavelmente já teria falecido. Lutemos por mais investimento em pesquisas importantes, não só no Brasil, mas no mundo todo.

Que venha a cura do câncer e de todas as outras doenças, até mesmo as doenças sociais que tanto matam. E que o sol chegue logo para todos.